Fato Real
Você Repórter

Missa de exéquias do padre Jaime é realizada em Barbacena

Na manhã desta terça-feira (23), foi realizada na Paróquia de Santo Antônio, em Barbacena (MG), a missa de exéquias do padre Jaime Gonçalves Pinto. A celebração, que não teve o corpo presente e seguiu todas as normas e protocolos da vigilância sanitária para a realização dos ritos fúnebres, contou com a presença de alguns membros do Clero marianense, que se uniram em oração pela alma do padre Jaime.

“Bem que gostaríamos de estar aqui rezando uma santa missa em ação de graças pela plena recuperação da saúde do padre Jaime. Essa seria a nossa vontade, mas Deus tem os seus caminhos, que não são os nossos, e seus pensamentos, que não são os nossos ― como diz o profeta”, afirmou durante a homilia o vigário geral da Arquidiocese, monsenhor Luiz Antônio Reis Costa, que presidiu a celebração.

“Todo padre, que passa por essa terra, alguma lição deixa; algum testemunho dá”, enfatizou o monsenhor Luiz Antônio ao destacar alguns pontos sobre a caminhada do padre Jaime. “Ele disse de si mesmo algo que eu considero que, de certa forma, resume muito do que ele quis para o seu ministério e para a sua vida: […] ‘eu estou como um Cireneu para os colegas’”, recordou o vigário geral da disposição em ajudar aos colegas presbíteros. “De fato, ele foi, tantas e tantas vezes, Cireneu, para tantos de nós, aqui, na Arquidiocese de Mariana”, concluiu.

Já o diretor do Departamento Arquidiocesano de Comunicação, padre Paulo Barbosa (pe. Paulinho), destacou a amizade e o companheirismo de padre Jaime para com todos. “Agradecemos sua vida e ministério. Que padre Jaime seja recompensado pelo bem que fez e por ter vivido a caridade para com os pobres e necessitados. O Presbitério de Mariana também foi Cireneu com o padre Jaime no acolhimento e nas oportunidades pastorais. A Arquidiocese de Mariana se recolhe na oração e no agradecimento por sua vida”, pontuou o padre Paulinho.

Após a celebração, o corpo do padre Jaime foi sepultado no cemitério da Boa Morte, em Barbacena (MG). O sacerdote faleceu, aos 75 anos, na madrugada do dia 22 de fevereiro, após sofrer uma parada cardíaca em decorrência da Covid-19. Ele estava desde o início do mês internado no hospital Ibiapaba, em Barbacena (MG), quando foi submetido a dois procedimentos de angioplastia e, posteriormente, diagnosticado com Covid-19.

Natural de Teófilo Otoni (MG), ele estava exercendo o seu ministério presbiteral na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Piranga (MG), como vigário paroquial, onde também foi celebrada uma missa de exéquias na segunda-feira (22).


Texto: Arquidiocese de Mariana.
Fotos: Joaquim José Barbosa

Se você quer ver sua reclamação, foto, denúncia ou elogio no Fato Real; se quer enviar uma pauta ou sugestão de reportagem, envie seu email para [email protected]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!