Fato Real
Política

Candidato prega gestão mais participativa e critica a velha política

Candidato Talysson Zebral ao vivo na rádio
Candidato Talysson Zebral ao vivo na rádio

Mais jovem entre os concorrentes à prefeitura de Conselheiro Lafaiete, o candidato Talysson Zebral (PCdoB) expôs seus conceitos sobre administração pública e propostas para gerir a cidade, caso vença as eleições, em entrevista apresentada ao vivo na manhã desta segunda-feira (09/11) pelas emissoras de rádio das Organizações Agostinho Campos Neto e transmitida pelo Instagram do Fato Real.

Após se apresentar como ativista com forte atuação na militância estudantil, Talysson respondeu por que decidiu se lançar diretamente na disputa pela prefeitura sem ter tido antes a vivência de um mandato eletivo como vereador, por exemplo. Ele argumentou que trabalha há bastante tempo nos bastidores políticos, tendo exercido a chefia de gabinete e assessoria de parlamentares na Câmara dos Deputados em Brasília, razão pela qual conhece por dentro e muito de perto os caminhos que viabilizam a liberação de recursos para os municípios. Disse, ainda, que seu perfil pessoal não é de legislador, mas de executivo: “A militância estudantil e os movimentos sociais foram uma grande escola pra mim. Desde muito jovem, aprendi a ouvir para fazer uma boa gestão pública, como a que exerci na União Brasileira dos Estudantes Secundaristas. Ninguém chega à chefia de gabinete de um deputado sem ter experiência política. Nos 10 anos em que trabalhei em Brasília, participei das comissões de Orçamento e de Constituição e Justiça como assessor técnico. Atendia a cerca de 200 prefeitos por semana e me considero capacitado e pronto para assumir a Prefeitura”.

Candidato busca gestão mais moderna e participativa
Candidato busca gestão mais moderna e participativa

Sobre as pendências na Justiça Eleitoral, afirmou estarem muito próximas de serem superadas.Zebral teve a candidatura inicialmente indeferida com recurso sob argumento de que não teria se filiado ao PC do B, partido pelo qual é  candidato. Em análise de seu recurso a Procuradoria Regional Eleitoral manifestou-se para que seja deferido o registro de candidatura.

Aproveitando a chance da entrevista desta manhã para falar diretamente ao eleitorado lafaietense, Talysson abordou tópicos variados do que poderá ser a administração de Conselheiro Lafaiete sob seu comando em setores como saúde, educação, geração de emprego, tecnologia, esporte e outros.

Economia

O candidato garantiu que tem experiência em gestão orçamentária, mas disse que não vai decidir sozinho sobre a aplicação dos recursos do município. Talysson afirmou que seu programa de governo reúne mais de 600 contribuições de cidadãos lafaietenses e o objetivo é governar ouvindo a população. Considerando que a maioria dos projetos apresentados pela cidade não avançou por falta de embasamento técnico, Zebral se comprometeu a nomear uma equipe de especialistas e colocar auxiliares em Brasília para percorrer diariamente os ministérios em busca de investimentos, tal como já fazem municípios vizinhos. Admitiu, ainda, que o primeiro ano de sua eventual gestão não se destacará pela realização de obras: “Haverá uma inversão de prioridades. Nos primeiros anos precisaremos arrumar a casa para, depois, começar a fazer investimentos. Se eleitos, vamos lançar o projeto Lafaiete 2040; para planejar agora como será Lafaiete daqui a 20 anos é preciso ouvir a população”.

Lembrando que o orçamento a ser executado por próximo um prefeito é definido em ano ano anterior, Talysson argumentou que não há como fazer promessas que não poderão ser cumpridas, como por exemplo, dar dinheiro à população.

Esporte – Saúde – Infraestrutura

Definindo a si próprio como esportista de destaque na época das competições estudantis, Talysson Zebral criticou a situação de abandono em que se encontra o ginásio poliesportivo. A saída, de acordo com o candidato, é revitalizar o espaço e incentivar a prática de campeonatos amadores e especializados em suas dependências.

Zebral também defendeu a implantação de uma unidade de pronto atendimento nas instalações do hospital regional, antes porém, na sua opinião, seria necessária um auditoria para conhecer a real situação da obra que teve inicio em 2009 e não foi finalizada.  Ainda na área da Saúde, o candidato afirmou  que é preciso acabar com a centralização de distribuição de medicamentos para que os usuários voltem a ter acesso aos remédios nos postos de saúde.

Por fim, prometeu, em caso de vitória, rever os contratos de concessão da Copasa e Viação Presidente para sanar os problemas crônicos que atrapalham a prestação dos serviços de saneamento básico e transporte público na cidade.

Denúncias

Talysson critica o que chama de "velha política"
Talysson critica o que chama de “velha política”

Na entrevista aos âncoras Gina Costa e Agostinho Rezende Campos, Talysson Zebral fez coro a denúncias de negociações escusas nos bastidores da eleição municipal. Ele disse que também foi sondado para abrir mão da própria candidatura em troca de assumir alguma secretaria ou indicar o ocupante que desejasse para a pasta de seu interesse em caso de vitória de determinado candidato.

Para Talysson Zebral, chegou a hora de Lafaiete abandonar o que define como a “velha política”, exercida por pessoas que priorizam o poder, e trazer novas ideias e práticas para a administração municipal.

Próximos

Todos os candidatos foram convidados para o ciclo de entrevistas. A  sequência do espaço para as próximas participações é a seguinte:

  • Alvaro / Terça-feira (10).
  • Aloísio Resende / Quarta-feira (11).
  • Cleber da Caixa / Quinta-feira (12).

As entrevistas são ao vivo, a partir das 10h, com transmissão pelas rádios: 89,9 FM, 92,3 FM e 101,3 FM e pelo Instagram do Fato Real – fatorealsite.

A reprise ocorre às 15h pela rádio Carijós 92,3 FM e fica disponível no Instagram do Fato Real.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!