Fato Real
Lafaiete

Lafaiete pode ter serviço de transporte público normalizado ainda hoje

Depois de três dias de paralisação, o serviço de transporte público deve retornar à normalidade a qualquer momento em Lafaiete. Tudo depende da quitação dos débitos da empresa com os funcionários.

Depois de um dia de protestos dos funcionários da Viação Presidente, a empresa apresentou uma nova proposta ao Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Conselheiro Lafaiete –  SINTTROCOL.  A expectativa é de que a concessionária acerte seus débitos com os funcionários para a normalização do transporte público em Lafaiete.

Venda de ônibus

Bloqueio no portão de saída de ônibus ontem. Foto/Fernando Baêta
Bloqueio no portão de saída de ônibus ontem. Foto/Fernando Baêta

Uma informação extraoficial é de que a  Viação Presidente teria iniciado a venda de três ônibus de sua frota para solucionar os problemas financeiros da empresa.Durante uma manifestação na tarde de ontem por parte dos trabalhadores da concessionária, alguns veículos foram estacionados em frente ao portão da garagem da empresa para impedir a saída dos ônibus. Os funcionários temem que a empresa esteja se desfazendo do seu próprio patrimônio, impossibilitando o pagamento das dívidas trabalhistas.

Negociação

Em reunião ontem foi feita uma proposta para que fosse pago os salários atrasados e o plano de saúde dos funcionários. Este pagamento aconteceria na manhã desta sexta-feira (15)  e garantiria a normalização do serviço de transporte público na cidade. O advogado do SINTTROCOL, Antônio Braga, confirma que assim que o pagamento for acertado, haverá a normalização do serviço: “Tão logo o dinheiro esteja na conta do trabalhador e a empresa apresente o comprovante do pagamento do plano de saúde, o retorno ao trabalho será imediato”.

Ivanildo Abrantes, presidente do SINTTROCOL disse, no entanto, que o proprietário da Viação Presidente se recusou a assinar um documento que garantiria o compromisso da concessionária em pagar as dívidas.

Estado de greve permanece
Estado de greve permanece


Estado de greve

Mesmo com o pagamento e o retorno do transporte público,  os funcionários permanecerão em estado de greve até o dia 31 de janeiro.  Antônio Braga, advogado do SINTTROCOL, explica a situação: “Se a empresa deixar de pagar o ticket alimentação e o adiantamento no dia 21 deste mês, a greve retorna sem nenhuma necessidade de nova formalidade”.

Até às 7h apenas  quatro ônibus estavam circulando.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!