Fato Real
Gerais

Grito dos Excluído: Basta de miséria, preconceito e repressão

O Grito dos Excluídos ocorre há 26 anos/Foto/Arquivo
O Grito dos Excluídos ocorre há 26 anos/Foto/Arquivo

Mesmo em meio à pandemia de Covid-19, a Arquidiocese de Mariana realizará a 26ª edição do “Grito dos Excluídos.

De acordo com Silene Gonçalves, membro da Dimensão Sociopolítica da Arquidiocese de Mariana e componente da comissão organizadora, será, pela primeira vez, um “Grito dos Excluídos” sem a presença física do povo, devido a pandemia do novo coronavírus. Ela destaca que o Grito dos Excluídos é sempre o espaço do debate, da reflexão do momento presente. “Nosso país está passando por um momento atípico, estamos vivendo uma crise dentro de outra crise. Ou seja uma crise sanitária dentro de uma enorme crise econômica e política, com ataques à democracia, aos direitos das minorias, sobretudo dos trabalhadores e trabalhadoras, sem falar no descaso e agressões a nossa mãe Terra”, disse Silene

Este ano, o lema defendido pelo “Grito dos Excluídos” é “Basta de Miséria, Preconceito e Repressão! Queremos Trabalho, Terra, Teto e Participação”. O objetivo é denunciar as mazelas políticas, econômicas e sociais que flagelam a população brasileira, agravadas ainda mais pelo advento do novo coronavírus.

Região

Como explica Silene Gonçalves, problemas regionais serão abordados no protesto coordenado pela Arquidiocese de Mariana: “Vamos denunciar a situação caótica causada pela mineração, pois vários municípios da região têm sofrido muito no convívio com as mineradoras. Também chama a atenção o crescimento dos índices de violência doméstica, particularmente neste período de pandemia. Também temos notado um grande retrocesso na luta contra o preconceito, principalmente racial e de gênero, muito evidenciado nas relações sociais durante a pandemia. Aumentaram os casos de feminicídio, agressões a mulheres e outros contra os quais a gente precisa gritar”.

 Programação

A Arquidiocese de Mariana está realizando uma semana inteira de discussões. A cada dia, uma região pastoral é responsável por refletir sobre um tema, com debates sobre terra, água e bens naturais, retirada de direitos trabalhistas, preconceito e intolerância, entre outros.

Na segunda-feira,  feriado de 07 de setembro, ponto alto da mobilização do “Grito dos Excluídos”, haverá pela manhã uma live que reunirá lideranças sindicais da cidade de Congonhas.  Em seguida, às 10h, será celebrada a missa solene transmitida diretamente da Basílica do Senhor Bom Jesus pela rádio Difusora de Congonhas e através das redes sociais da Arquidiocese de Mariana.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!