Fato Real
Gerais Você Repórter

Até quando irão negar nosso direito à segurança na BR 040?

Você é um cidadão que respeita as leis, dirige com cuidado, mantém seu veículo em perfeitas condições de uso.  Paga seus impostos religiosamente, mantém os documentos rigorosamente em dia. Utiliza vias públicas de forma a garantir a fluidez do tráfego. Utiliza seu veículo para deslocar-se por trajetos urbanos e rodoviários. Seu veículo é sua ferramenta de trabalho ou de lazer, e por um motivo ou outro precisa deslocar-se entre Conselheiro Lafaiete e nossa capital, Belo Horizonte. Irá trafegar por uma rodovia da iniciativa privada, com um pedágio de mais de R$5,00. Segue viagem normalmente, com sua família, em sua mão de direção, dentro dos limites de velocidade da via, veículo em perfeito estado de conservação, com seus impostos em dia. Mas, por algum motivo, outro carro, ou caminhão, ou ônibus no sentido contrário avança sobre a contramão de direção e colide frontalmente com você. As velocidades dos veículos colidindo em sentidos opostos se somam (sim, a física é implacável!), e aqueles 80 km/h em que você estava trafegando transformam-se em 160 km/h, isso se o veículo que o atingiu estiver na mesma velocidade que você!  É possível acreditar que um impacto de tamanha energia não provoque lesões gravíssimas nos passageiros, até mesmo fatais?

Essa é justamente a questão. Não se trata de discutir sobre prudência, conservação de veículos, respeito às leis de trânsito. Usar um capacete pode ser a diferença entre a vida e a morte para um motociclista. É o que chamamos de segurança ativa! Depende de você, e provocará efeitos em você. Não usar o capacete implica em assumir riscos à sua vida, mas não à vida de terceiros. Trafegar pela BR 040 sem muretas de proteção separando as pistas não é um exemplo de segurança ativa. É segurança passiva! É uma barreira para impedir que um impacto frontal e quase sempre fatal aconteça. É fazer com que o comportamento prudente do bom motorista, do motociclista consciente, do caminhoneiro trabalhador, enfim, de todos os usuários da via, seja suficiente para garantir a segurança em seu trajeto pela via. E a Concessionária Via 040 vem sistematicamente negando tal direito aos usuários de sua concessão. Sim, negam, porque foi elemento acordado na licitação que perdeu seu efeito e agora entra em processo de relicitação. Estranhamente o pedágio continua sendo cobrado sem nenhum tipo de redução, sem nenhuma garantia sobre a realização de obras que garantam a segurança dos usuários. A concessionária vem insistindo na impossibilidade da duplicação do trecho mortífero entre o condomínio Alphaville, em Nova Lima, e a cidade de Conselheiro Lafaiete. Alegam que licenças ambientais não permitem a realização da obra. Mas não se trata de uma duplicação. O que os usuários imploram é a instalação de muretas, tal como as instaladas em trechos como a antiga curva do sabão, onde certamente as mineradoras pressionaram para a realização da obra. Muretas como as instaladas em alguns pontos críticos no trecho entre Cristiano Otoni e Barbacena. Muretas no meio das pistas! Não foi necessária nenhuma obra de duplicação, ampliação de acostamentos, licenças ambientais, nem outro tipo de desculpas como as que eu venho acompanhando nesses anos de perdas irreparáveis em vidas nessa rodovia mortífera. A separação de pistas impediria colisões frontais e fatais. A instalação de muretas impediria travessias na rodovia em locais proibidos e que vitimaram tantas pessoas até hoje.

É doloroso, é cruel perder amigos, familiares, conhecidos, sem conseguir vislumbrar nenhum tipo de solução para esse problema.

Estamos em uma região produtora de grandes riquezas para o país, cidades como Ouro Branco, Lafaiete, Congonhas, Jeceaba, Carandaí, dentre tantas outras que dependem da BR 040 para escoar suas riquezas e para trânsito de seus moradores. Não posso compreender como uma região tão importante para nosso país e para nosso estado não tenha força política para exigir da Concessionária Via 040 a instalação de muretas em todo o trecho entre Belo Horizonte e Barbacena. Como nossas autoridades não se envergonham em assistir dia após dia a perda de inúmeras vidas em acidentes que poderiam ter sido evitados com uma simples medida de segurança passiva, a instalação de muretas separando as pistas? Por que as mineradoras não concluíram a tão falada rodovia que retiraria o fluxo de caminhões da BR 040?

Aqueles que já passaram das três ou quatro décadas de vida, assim como eu, lembram-se muito bem do antigo Viaduto das Almas. E lembram-se também com enorme tristeza das inúmeras vidas perdidas naquele local. Alguém se recorda de alguma fatalidade ocorrida no novo viaduto? O novo viaduto Vila Rica é um exemplo de segurança passiva, que salva vidas. O fluxo de veículos não diminuiu, a velocidade sobre ele não diminuiu, mas a condição segura de trânsito impede que fatalidades aconteçam. Poderíamos citar a antiga “curva do sabão” como outro exemplo de separação de pistas que salva vidas.

Perdi inúmeros amigos na BR 040. Conheço centenas de histórias tristes de saudade e dor provocadas por colisões frontais ou laterais em veículos que cruzaram a rodovia em locais proibidos no trecho assassino entre Conselheiro Lafaiete e Belo Horizonte. Mas não vi nenhum empenho de nossas autoridades para acabar com essa carnificina. Muitos dizem que o que falta é prudência, respeito às leis de trânsito. Concordo. Entretanto, somente a segurança ativa não salvará vidas em um trecho onde é negado o direito a pistas separadas. Falta vontade política, falta empatia pelo povo, falta coragem para acionar o Ministério Público em uma ação coletiva de todos os municípios exigindo a instalação de muretas na rodovia e impedindo a cobrança de pedágios até que a exigência seja cumprida. Falta respeito ao eleitor. Falta amor ao próximo. Falta caráter em nossos representantes. Falta acontecer algo com alguém próximo a um deles. Falta acontecer uma colisão fatal com eles mesmos. Precisamos  nos mobilizar imediatamente. Mas não será queimando pneus, impedindo as pessoas de ir e vir, bloqueando a rodovia que conseguiremos a instalação de muretas na BR 040. Prejudicar os usuários já penalizados com uma rodovia tão perigosa e um pedágio extorsivo não é o que devemos fazer. Devemos fazê-lo na justiça, utilizando da força da lei e daqueles políticos que realmente queiram trabalhar pelo povo, para o povo e com o povo.

Se você acredita na vida, certamente vai se juntar a essa luta. BR 040 COM MURETAS JÁ.

 Alisson Caio Rezende
Professor no CES-CL, Núcleo Camila Viana e EE Monsenhor Horta, Motociclista do Esquadrão Águia Motoclube
Criador da página no Facebook – BR 040 com muretas já – desde 2012
https://www.facebook.com/via040muretasimediatamente/

Se você quer ver sua reclamação, foto, denúncia ou elogio no Fato Real; se quer enviar uma pauta ou sugestão de reportagem, envie seu email para [email protected]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!