Fato Real
Destaque

Fiscalização e reclamação marcam fim de semana de aglomerações em Lafaiete

Após expressivo aumento no número de contaminações pelo novo coronavírus, o fim de semana foi de muita reclamação e denúncia em Conselheiro Lafaiete. As denúncias reportaram a repetição de aglomerações indevidas em espaços públicos e pouca fiscalização para reprimi-las, enquanto a maior parte das reclamações partiu de pessoas que se sentiram injustiçados pela atuação dos fiscais.

Parque de exposição

Foi registrada, por exemplo, uma verdadeira festa ao ar livre, com grande presença de jovens, música alta, pessoas dançando em cima de carros sem uso de máscara, sem distanciamento social ou qualquer outra medida preventiva. Embora a reunião tenha acontecido na entrada do Parque de Exposições Tancredo Neves, não houve autorização da Prefeitura, exigida somente para eventos promovidos dentro daquele local. Contudo, a realização do encontro foi amplamente divulgada nas redes sociais, o que torna inevitável o questionamento de por que não foi feita uma fiscalização surpresa para dispersão de quem estava insistindo em descumprir a lei. Houve, ainda, um clube promovendo forró e  show ao vivo com um cantor, o que gerou grande aglomeração. O fato repercutiu entre a classe artística que emitiu uma nota por meio do movimento “Por que não eu?” que busca a volta do trabalho de profissionais ligados à música e eventos. Leia aqui.

Ibiza

Também no fim de semana, o estabelecimento Ibiza foi interditado pela Vigilância Sanitária. Imediatamente, começou a circular nas redes sociais mensagem atribuída à direção da casa com menções diretas ao prefeito reeleito de Lafaiete. Conforme o texto, o estabelecimento estava seguindo normas que, até o dia das eleições municipais, eram consideradas válidas. Os autores da mensagem ironizam: “Obrigado, prefeito Mário Marcus! Agora, que se reelegeu, as normas mudaram. Não precisa mais dos votos de ninguém. Que vergonha!”

Mureto

O Mureto foi outro estabelecimento que enfrentou problemas com a fiscalização. Imagens do estabelecimento cheio, com fregueses aglomerados e sem usar máscara viralizaram na internet. Porém, em contato com o Site de Notícias Fato Real, a direção do estabelecimento afirma que as imagens não são deste final de semana; no entanto não soube precisar qual a data a filmagem foi feita.

Documento comprova que a aglomeração não foi no domingo (22)
Documento comprova que a aglomeração não foi no domingo (22)

O proprietário, Guilherme Marotta, disse que os fiscais estiveram no local na sexta-feira (20) e não viram nada de irregular. Fizeram as orientações de praxe e Guilherme assinou um documento confirmando a visita. No sábado (21), segundo o proprietário, as equipes apenas passaram pela porta do Mureto, mas nem entraram porque, segundo ele, toda a clientela estava usando máscara e havia o devido distanciamento entre as mesas. Na noite deste domingo (22) a fiscalização retornou pela terceira vez consecutiva, entrou e vistoriou o estabelecimento. Ao final, entregaram ao dono um documento que, segundo ele, atesta que não foi detectada nenhuma irregularidade. Guilherme Marotta assegurou que o restaurante segue as regras estabelecidas pelo programa “Minas Consciente” do governo estadual e está pronto a  prestar esclarecimentos à sociedade sempre que necessário.

Ao longo do fim de semana, os fiscais da Prefeitura também foram a outros bares, sorveterias e casas de açaí, entre outros.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!