Fato Real
Destaque

Entidades mudam formato e haverá carreata contra fechamento do comércio

Comércio não essencial não funciona na Onda Vermelha
Comércio não essencial não funciona na Onda Vermelha

Após as recomendações do Ministério Público sobre a manifestação dos comerciantes em Conselheiro Lafaiete, a classe mudou o formato e vai fazer um protesto nesta segunda-feira 11/01 contra o fechamento dos estabelecimentos considerados não essenciais pelo programa Minas Consciente.

Recomendação

Com a divulgação de que ocorreria uma manifestação, e com isso a possibilidade de aglomeração, no sábado (09) a Promotora de Justiça, Carolina Queiroz de Carvalho, da Comarca de Lafaiete, expediu uma recomendação às entidades empresarias. O documento cita a saúde como direito fundamental social assegurado pela Constituição Federal, e que o direito à livre manifestação de pensamento não pode colocar em risco demais direitos, conforme entendimento pacificado das Cortes Superiores. E recomenda  que a PM tome providências para evitar que ela ocorra em desacordo com as normas,  e identifique cada responsável pelo evento, a fim de que a Polícia Judiciária e o Ministério Público possam encetar o manejo de ação penal pública.

Decisão

Neste domingo aconteceu uma reunião com participação da Associação Comercial, Sindcomércio, CDL, quando ficou decidido  que as entidades  retirariam o apoio à manifestação em formato de passeata, a fim de evitar qualquer risco ou hipótese de que o movimento viesse a ser considerado disseminador do coronavírus.

Contudo, por estarem cumprindo seu papel estatutário e legal, continuam apoiando o movimento dos comerciantes, desde que realizado em forma de carreata, com todos os cuidados contra a pandemia do coronavírus, partindo dos locais já previstos. Contudo, continuam apoiando o movimento dos comerciantes, e convida a todos para o “ato cívico, que irá acontecer em forma de carreata, saindo da Praça do Cristo a partir das 15h, com todos os cuidados contra a pandemia do coronavírus, partindo dos locais já previstos.

Confira a nota na íntegra

Após um número muito maior que o esperado, de empresários e de trabalhadores do comércio demonstrarem interesse em participar do Ato Cívico em favor da Vida e do Comércio, na próxima segunda feira, 11, as entidades decidiram retirar o apoio à manifestação em formato de passeata, a fim de evitar qualquer risco ou hipótese de que o movimento viesse a ser considerado disseminador do coronavírus.

Tendo em vista a grande mobilização ocorrida desde a sexta-feira passada, especialmente nas redes sociais, indicando a possibilidade de uma participação muito grande, em torno de 1000 pessoas, o que tornaria muito difícil manter as condições adequadas de distanciamento.

E ainda, diante de informações da possibilidade de infiltração de elementos estranhos ao movimento do comércio, com a finalidade de causar tumulto.

E mesmo compreendendo a urgência de medidas que diminuam a aflição de comerciantes, que se preparam, por não ter outra saída, para demitir e em muitos casos para fechar seus negócios, e de funcionários que se veem ameaçados pelo desemprego.

Sem compreender por que o pequeno comercio, aquele que proporcionalmente mais emprega e não tem potencial de contágio, é mais uma vez impedido de abrir as portas.

Mais ainda, quando inúmeras outras atividades não são tratadas como ameaça pelos zelosos órgãos de controle. Caso do recente processo eleitoral, do descumprimento de uso de máscaras em via pública, dos ônibus lotado, e inúmeros outras situações que são claramente de risco.

Mesmo diante do apoio de grande parte da população, que vê, findarem os auxílios do governo, o risco de aumento do desemprego, não vê o comércio como foco de contágio e não sabe o que esperar dos órgãos de governo.

As entidades do comércio decidiram não mais apoiar o movimento no formato definido inicialmente, que seria uma passeata com caminhada até a prefeitura, saindo de vários pontos da cidade.
Contudo, por estarem cumprindo seu papel estatutário e legal, continuam apoiando o movimento dos comerciantes, desde que realizado em forma de carreata, com todos os cuidados contra a pandemia do coronavírus, partindo dos locais já previstos.

Assim, ACIAS, CDL e SINDCOMERCIO, reiteram que continuam apoiando e defendendo o comércio local, mas que diante dos riscos, inclusive mencionados em notificação do Ministério Público Estadual, pelo grande número de pessoas, deixam de apoiar a passeata prevista para segunda-feira, às 9:00h em frente à prefeitura municipal e solicitam firmemente que ninguém se dirija a pé, ao local com esta finalidade.

Contudo, por estarem cumprindo seu papel estatutário e legal, continuam apoiando o movimento dos comerciantes, e convida a todos para o Ato Cívico, que irá acontecer em forma de Carreata, saindo da Praça do Cristo a partir das 15:00h, com todos os cuidados contra a pandemia do coronavírus, partindo dos locais já previstos.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!