Fato Real
Coluna Vou Falar - por Aaron Fenix Gerais

Ter ou ser?

Quem já não ouviu a velha e famosa frase “Ser ou não ser, eis a questão”, contida na da peça A tragédia de Hamlet, de William Shakespeare? Pois é, essa frase é frequentemente usada como um fundo filosófico profundo. Diferente da frase de Shakespeare, a questão aqui é outra. TER ou SER, um grande dilema para nós que vivemos sob o cabresto do capitalismo. Numa sociedade extremamente consumista, onde todos os ideais de felicidade estão associados a dinheiro, beleza e poder, fica difícil refletir quais os verdadeiros valores que devem priorizar as escolhas que fazemos ao longo da vida. É triste pensar que para ser feliz é preciso TER isso ou aquilo, é preciso SER assim ou assado. As pessoas tornaram-se exigentes quando o assunto é felicidade e se esqueceram que a verdadeira felicidade é aquela que não cabe no contracheque, ela está associada à idéia que fazemos de nossa própria realidade, a leitura de mundo que desenvolvemos.
É comum pessoas simples sentirem-se felizes e realizadas, muito mais do que pessoas que não conseguem administrar os dígitos de sua riqueza.

O problema disso tudo é que as pessoas esquecem-se de “SER” num tempo onde impera a ditadura do “TER”. As crianças crescem sob esses falsos ideais e acabam perdendo noções de valores essenciais, incluindo a importância da educação, respeito e caráter. O que vemos, cada vez mais, são crianças problemas e jovens frustrados, pois o ideal de felicidade, para eles, está intrinsecamente associado ao dinheiro e à beleza. É feliz quem é honesto, quem é bom de coração, quem tem amigos de verdade, quem tem amores de verdade, e, principalmente, é feliz quem descobre que dinheiro e beleza isolados de todas essas virtudes, não traz felicidade.

Quando nos referimos ao ser, nos referimos a nossa essência mais profunda. Refiro-me a tudo a que somos independentemente do que temos. Nosso caráter, nossos princípios, nossos valores, nossos sentimentos e nossa visão da vida e de nós mesmos. TER é muito mais fácil do que SER. Muitas vezes podemos comprar o que queremos ter, mas jamais podemos comprar quem desejamos nos tornar. Para ser, é preciso se transformar, fazer um mergulho íntimo e trabalhar pelo seu refinamento pessoal.

Quem esquece a si mesmo para TER a qualquer custo, perde sua própria alma e sua identidade, ainda que more em um bom lugar e se alimente nos melhores restaurantes. Eu pessoalmente escolho o caminho do meio, o equilíbrio. Creio que é possível SERMOS enquanto TEMOS. É plenamente possível sermos honestos, generosos, bondosos à medida que vamos melhorando nossa situação financeira. Ou seja, uma vida próspera em todas as áreas.

O TER saudável só acontece quando é reflexo de um SER que se reconhece, de um SER de valores autênticos, que tem certeza dos seus princípios e tem como essência a real simplicidade e humildade. Portanto, cuide-se: não perca a sua identidade, sua autoestima, seus valores mais profundos para TER . Pois tudo o que temos hoje, podemos não TER amanhã, afinal a vida é como uma roda gigante em muitas oportunidades. Mas, aquele que É nunca vai deixar de SER quem realmente se tornou. É uma conquista eterna, que não perdemos. Procure sempre equilibrar essa balança e sua vida lhe agradecerá!

Tô Sabendo e Vou Falar!
Aaron Fênix

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!