Colegio Nazare
Destaque Política

Vereador diz que Copasa está roubando da população de Lafaiete

Ao fazer uso da “Palavra Franca” na primeira sessão legislativa de 2019 na Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete, o vereador João Paulo Resende (DEM) fez críticas contundentes à atuação da Copasa na cidade. Ao abordar o brusco aumento nas contas de água, que vem deixando os moradores preocupados, ele disse que a concessionária está roubando à população de Lafaiete: “Temos sido procurados constantemente por pessoas que reclamam da conta de água da Copasa, que dobrou de valor. Vamos pedir uma audiência pública aqui na casa a respeito do assunto, já que está sendo cobrado sobre o valor do consumo 95% relativo ao esgoto. Pessoas que pagaram 100 estão pagando agora até R$200,00 pela conta de água e isso é um absurdo. Faz um mês que está funcionando a ETE do Ventura Luiz e o pessoal da Água Preta já começou a reclamar do fedor e os rios continuam sujos. No meu entendimento, o que a Copasa está fazendo é roubar do povo. Esperamos que, no dia da audiência, a ARSAE (Agência Reguladora dos Serviços de Água e Esgoto) esteja aqui, pois ela é responsável por ter autorizado esta cobrança abusiva.”

Sobre o aumento nas contas de água, a Copasa argumenta que tem o direito de fazer a majoração a partir do momento em que colocou em operação a ETE – Estação de Tratamento de Esgoto do ribeirão Ventura Luiz, na região da Água Preta, a exemplo do que já ocorria com a ETE Bananeiras.

Alguns vereadores adiantaram que formalizaram consulta formal à concessionária em busca de informações concretas sobre o reajuste.

Ônibus

João Paulo falou também do aumento previsto para a tarifa dos ônibus coletivos e reafirmou que a concessionária do serviço precisa rever alguns dos casos especiais em que é concedida a gratuidade das passagens: “A Viação Presidente tem de rever as gratuidades e não pode jogar isso sobre o restante do povo que usa os ônibus. Existem pessoas que abusam da gratuidade, pois andam de graça nos ônibus e recebem o vale-transporte das empresas onde trabalham. Isso onera o pobre coitado que vai trabalhar de ônibus todo dia. Antes de repassar o aumento da passagem, que eles revejam quem está andando de graça, qual é o motivo e se realmente precisa, pois não dá pra embutir na conta de todos.”