Fato Real
Política

Reforma da Previdência é discutida em audiência em Lafaiete

Com presença de convidados como os deputados Padre João (federal) e Beatriz Cerqueira (estadual), vereadores e representantes de órgãos como a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais – FETAEMG; Secretaria Estadual de Fazenda; Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) foi debatida nesta sexta-feira 24/05 a reforma da Previdência, em Audiência Pública na Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete.

Padre João apontou a reforma como um retrocesso desastroso e um golpe contra a trabalhadora e os pobres. “A proposta de reforma da Previdência foi entregue no Congresso por Jair Bolsonaro, em 20 de fevereiro desse ano e ganhou o número de PEC 6/2019. O projeto já teve sua admissibilidade aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas já ganhou ares de ser ainda pior que a proposta do governo anterior, de Michel Temer. Esta reforma é mais um retrocesso e um golpe contra os trabalhadores e trabalhadoras e massacra a população mais pobre”, afirmou o deputado, acrescentando questionamentos em relação a não cobrança da dívida das grandes empresas com a Previdência que chega a 500 bilhões e o não combate à sonegação. “Isso é um pacote de maldades”. O deputado petista informou que a reforma da Previdência já recebeu várias emendas, de modo que não é possível se afirmar em que situação está o texto.

A deputada estadual Beatriz Cerqueira discursou sobre diversos pontos da reforma da Previdência, destacando a questão da capitalização, que comparou a uma poupança. Falou dos riscos de uma desconstitucionalização da previdência e da necessidade de uma grande mobilização popular contra a reforma.

Maria Alves de Souza, diretora de Políticas Sociais e Previdência Social da FETAEMG chamou a atenção o debate da MP 871 que trata da revisão de benefícios, que pode atingir inclusive quem já está aposentado; além de debater a reforma da previdência que é a PEC 06. Ela se debruçou sobre a questão da alteração da idade mínima para a aposentadoria e dos sacrifícios que isso significa principalmente para os trabalhadores rurais. Um dado apresentado pelo auditor da Secretaria Estadual de Fazenda, Lindolfo Fernandes de Castro, é que a previdência não representa um problema para o Brasil, que ela é a solução, porque faz distribuição de renda; que o principal problema do Brasil é a dívida pública; destacou que 80% dos beneficiários do INSS recebem até dois salários mínimos.

Presidiu a audiência o vereador Pedro Américo que juntamente com Chico Paulo apresentou o requerimento para sua realização.   O presidente da Câmara, Fernando Bandeira falou sobre as dificuldades financeiras por que passam todos os municípios e as dificuldades por que passam os agricultores familiares. Disse que em relação aos pontos que já analisou da proposta de Reforma da Previdência que não concorda com os mesmos.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!