Fato Real
Lafaiete Política

Provedor de internet Vero poderá ter que se explicar junto à ANATEL e ao Ministério Público

A iniciativa do Portal de Notícias Fato Real de dar visibilidade às queixas de usuários sobre a queda de qualidade dos serviços prestados pelo provedor de internet Vero continuam gerando desdobramentos.

Instabilidade, lentidão, suporte técnico deficitário e a falta de atendimento de clientes via telefone de forma rápida e satisfatória estão no topo da lista de reclamações. Em reportagem publicada pelo Fato Real, José Carlos Rocha Júnior, Diretor de Vendas e Operações da Vero Internet em Minas Gerais, respondeu aos questionamentos. Sobre o relacionamento com clientes e instabilidades a empresa lamentou os transtornos ocasionados por “falhas pontuais” e falou sobre investimentos.

Denúncia na ANATEL

Nesta terça-feira (30/06), o presidente da Câmara de Vereadores informou ao Fato Real que o Legislativo de Conselheiro Lafaiete também se movimenta em busca de esclarecimentos e pela correção das falhas, cujas consequências principais são lentidão na conexão, instabilidade e dificuldades aos clientes para se manter online.

O vereador João Paulo Resende, que também é usuário da Vero, reforçou as queixas que inundaram as redes sociais nas últimas semanas. Ele observou que a qualidade do serviço não é a mesma desde que a provedora passou por mudanças administrativas e operacionais: “Meu gabinete foi procurado por diversas pessoas que fizeram a mesma reclamação a respeito da prestação de serviços pela Vero Internet. A gente constatou que, de fato, é impossível falar com a empresa pelo telefone e eles também não respondem ao número de WhatsApp que disponibilizaram para contato. Também sou cliente da Vero e tive problemas”, disse o presidente da Câmara Municipal de Lafaiete.

João Paulo Resende confirmou que a Câmara de Vereadores irá encaminhar denúncia diretamente à Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) em Brasília. O vereador explicou que um simples requerimento ao PROCON de Lafaiete não resolveria o problema com a agilidade que os usuários precisam, razão pela qual o Legislativo optou por acionar a agência reguladora dos serviços de telecomunicações, que tem maior poder de fiscalização.

Ministério Público

Também o promotor Glauco Peregrino, titular da Curadoria de Defesa do Consumidor, informou que o Ministério Público vai instaurar uma investigação preliminar destinada a apurar os motivos dos problemas que levam à insatisfação dos clientes com o provedor de internet Vero. Como o procedimento ainda se encontra na fase inicial, o promotor preferiu não adiantar detalhes das apurações em curso.

Leia também: Vero Internet argumenta sobre reclamações de clientes.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!