Fato Real
Política

Cantineiras e auxiliares da educação conquistam redução da jornada de trabalho

Profissionais acompanham as votações nas duas noites de discussões

Com o plenário repleto de profissionais da categoria, a Câmara de Vereadores de Conselheiro Lafaiete aprovou nesta quinta-feira (28/11), em segunda discussão e votação, projeto encaminhado pelo prefeito Mário Marcus que reduz de 36 para 30 horas a carga horária semanal das cantineiras e auxiliares de serviços de educação. A luta destas profissionais pela readequação da jornada de trabalho se arrastava há quase uma década. Com a aprovação definitiva pelo Legislativo, a Lei começará a vigorar já em 2020.

Tão logo a matéria foi colocada em discussão, o vereador João Paulo Resende (DEM), líder do Executivo na Câmara, pediu a palavra e denunciou uma suposta pressão do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais pela alteração do texto, o que atrasaria a tramitação da proposta e prejudicaria as servidoras: “Gostaria de agradecer a nossos assessores jurídicos, pois este projeto chegou no dia 05 de novembro e, em menos de um mês, passou por todas as comissões e nós o aprovamos. Também não podemos esquecer os vereadores Pedrinho e Sandro, que lutaram ao lado de vocês todo este tempo. Queria dizer também que a gente recebeu muita pressão por parte do sindicato, que pretendia suprimir um item; mas, se a gente entrasse com a emenda, o projeto só seria votado no ano que vem, prejudicando vocês e os que prestaram concurso, que vence agora no dia 20. A gente cumprimenta os vereadores por não terem cedido à pressão”. Segundo João Paulo, o sindicato, “que nunca acionou o Ministério Público em defesa dos auxiliares de serviços da educação”, tentou pressionar os vereadores, batendo de gabinete em gabinete, no momento em que o projeto chegou à Câmara.

 

O vereador Pedro Américo (PT), um dos que mais se empenharam pela readequação do trabalho das servidoras da educação, se congratulou com as funcionárias e dividiu a conquista com os colegas de Legislatura: “Hoje, o que se vê é o servidor sempre sendo lesado, prejudicado. Lutar por vocês não é mais do que nossa obrigação. Há tanto tempo vimos lutando por isso e, desta vez, conseguimos, com o apoio de todos os vereadores. Todos os vereadores se empenharam para ajudar vocês e, portanto, o mérito é de todos nós”.

Embora o Regimento Interno não permita manifestações do público presente, desta vez a plateia interveio livremente sem ser advertida. Todos os pronunciamentos foram interrompidos por aplausos entusiasmados das cantineiras. Em dado momento, elas próprias foram aplaudidas de pé pelos vereadores, que acataram sugestão do colega Carlos Aparecido (PSD). A sessão se encerrou em clima de confraternização entre as servidoras da educação e os membros do Legislativo lafaietense.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!