Fato Real
Lafaiete Polícia

Filho não acredita em crime na morte da mulher que caiu de prédio em Lafaiete

 Neste sábado (04/07), o portal de notícias Fato Real conversou com um dos filhos da mulher encontrada morta no passeio de um prédio no bairro Santo Agostinho, em Conselheiro Lafaiete, na quinta-feira (02).

Filho acredita que a mãe sofreu uma queda acidental

 

Luan Bitencourt Senra (19 anos) reside no Rio de Janeiro e foi informado da morte da mãe por uma ligação telefônica do Conselho Tutelar, já que seus irmãos foram encontrados dentro do apartamento sozinhos, após o trágico episódio. Ele veio a Lafaiete tomar providências relativas ao sepultamento da mãe e à guarda dos dois irmãos menores.

Apesar dos relatos de serem pessoas desconhecidas no bairro, a família estava morando em Lafaiete há cerca de dois anos, tendo vivido por algum tempo no bairro Rochedo e se mudado recentemente para o Santo Agostinho.

Suicídio descartado

O rapaz rechaçou veementemente a possibilidade de que a mãe, Daiana Vanderlei de Souza (36),  pudesse ter tirado a própria vida e disse que ela jamais havia manifestado pensamentos negativos ou tendências suicidas. Para ele, a ocorrência de um acidente seria a causa do óbito.

Luan explicou que, apesar de ambos serem usuários de drogas, a mãe e o pai se davam extremamente bem e nutriam um pelo outro, segundo suas palavras “um amor quase doentio” de tão intenso num relacionamento de 19 anos.

Acidente

O filho diz que o pai e a mãe usaram droga na noite da morte da mãe. Luan acredita que ela improvisou um lençol com cordas para escapar pela janela do apartamento, localizado no terceiro andar, para ir à procura do marido que havia saído na noite para comprar mais drogas; ele teria trancado a porta pelo lado de fora e levado a chave. No meio da descida, a corda se rompeu e Daiana se chocou violentamente contra o solo.

Segundo o filho, o celular da vítima continha a mensagem em que ela solicitou um táxi por volta de 5h30min da manhã. O taxista acionado é conhecido da família, a quem a mãe teria chamado minutos antes de sofrer a queda, dizendo que estaria aguardando na porta do prédio.

Armas, dinheiro e drogas 

Luan Senra  deu sua versão para a origem das armas e drogas encontradas pela polícia dentro do apartamento: “A pistola e o revólver eram armas velhas que nem funcionam mais, recebidas pela minha mãe como herança. Foram encontrados também cinco projéteis intactos de revólver calibre .38 que também pertenciam à minha mãe, da época em que ela era atiradora esportiva. A capa de colete à prova de balas é meu porque sou praticante de Airsoft; uma faca de colecionador e o radiocomunicador também são meus. Me incomodaram as notícias que colocavam meu pai como traficante e possuidor ilegal de armas. Havia drogas porque meus pais são usuários, mas não traficam”.

O jovem disse também que era seu o dinheiro encontrado em espécie que soma R$ 9.084,00 (nove mil e oitenta e quatro reais) que havia deixado na casa dos pais quando ainda moravam no bairro Rochedo.

Pai preso

Assim que chegou a Lafaiete, Luan se encontrou rapidamente com o pai na delegacia, tempo suficiente apenas para informá-lo de que a mulher havia morrido em consequência da queda e que estava cuidando das formalidades para o enterro. Ele afirmou que o pai está preso por dirigir alcoolizado e sem carteira de habilitação um Fiat Uno Mille com documentação vencida, mas não por qualquer suspeita de homicídio,  e foi transferido do presídio de Lafaiete.

Luan Senra confirmou que irá pleitear a guarda dos irmãos menores, de três e 13 anos. Outro irmão de 17 anos já mora com ele no Rio de Janeiro.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!