Fato Real
Lafaiete

Lafaietense com suspeita de coronavírus conta como é viver em isolamento

O Site de Notícias Fato Real entrevistou uma paciente de Conselheiro Lafaiete suspeita de ter contraído o novo coronavírus. Trata-se de uma jovem de 20 anos que, ao se sentir fortemente gripada e não conseguir alívio para os sintomas recorrendo a meios convencionais, decidiu procurar ajuda médica e foi aconselhada a se manter em quarentena enquanto não saírem os resultados dos exames: “Comecei a sentir um mal-estar na sexta-feira da semana passada e, inicialmente, tomei um remédio para gripe, destes que a gente compra na farmácia sem receita e que já estava acostumada a usar. Como o comprimido não surtiu nenhum efeito até à última terça-feira, decidi ir ao hospital. Lá, os médicos me aconselharam a não tomar mais nenhum medicamento sem receita e me isolar em casa enquanto os exames não ficam prontos. A expectativa é de que o resultado saia na próxima terça”.

Contato

Dias antes de manifestar os sintomas, a paciente esteve em contato direto com um grupo de pessoas recém-chegadas de uma viagem ao exterior. A jovem conta o que aconteceu quando deu entrada na Policlínica Municipal de Lafaiete, onde buscou ajuda:  “Cheguei ao pronto-socorro por volta das 10h30 da manhã de terça-feira. Passei pela triagem por volta de 10h40 e fui levada para uma sala isolada até às 16h30 quando me liberaram pra voltar pra casa. Antes, fiz todos os exames e assinei uma série de documentos assumindo a responsabilidade de me manter em quarentena até receber os resultados, o que demoraria seis dias úteis”.

A paciente, que aceitou conversar com o Fato Real em anonimato disse estar confiante de que o resultado vai dar negativo para o coronavírus. “Sigo rigorosamente as recomendações médicas, mas me senti desconfortável e com medo de estar colocando em risco as vidas de outras pessoas, razão pela qual, como prevenção e cautela, decidi procurar ajuda médica”. Ela descreve como eficiente e carinhoso o acolhimento que vem recebendo dos médicos da policlínica e demais servidores municipais da saúde: “Todos foram muito atenciosos comigo. No dia em que procurei atendimento e fiquei em isolamento por cerca de seis horas, até almoço deram um jeito de arranjar pra mim. A equipe me acompanha o tempo todo; eles não vêm à minha residência, até pra não se expor ao risco de se infectarem, mas o pessoal da Secretaria Municipal de Saúde me liga pra saber se está tudo bem, como vem evoluindo o tratamento”.

 Alerta

Por fim, a paciente deixou um recado para quem ainda insiste em menosprezar o potencial do risco de contaminação pelo COVID-19: “Ao ver a rápida evolução do coronavírus no Brasil, fico preocupada porque ainda tem muita gente achando que isso é brincadeira, acreditando que não vai pegar a gripe e não precisa se proteger. Todo mundo tem de se conscientizar de que o problema está aí e é muito grave. Por outro lado, me entristece o egoísmo de outros que só estão preocupados consigo mesmos, lotando desnecessariamente os carrinhos nos supermercados, sem perceber que só vão estar dificultando a vida de outras pessoas se começar a faltar produtos essenciais. Tomara que todo mundo se conscientize e ouça o que as autoridades públicas estão recomendando. A orientação é pra ficar em casa, não lotar os carrinhos de supermercado, usar o álcool em gel sempre que possível e redobrar os cuidados com a higiene pessoal. Fazendo isso, estaremos contribuindo para que a pandemia não avance, nem custe vidas na nossa cidade”, avaliou a paciente.

N.R: O  Fato Real  agradece a confiança da paciente em fazer seu relato pessoal,  deseja pronto restabelecimento de sua saúde e torce para que o resultado dos exames dê negativo para a contaminação por coronavírus.

Foto de capa meramente ilustrativa.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!