Fato Real
Lafaiete

Filme de cineasta lafaietense será exibido na Mostra de Cinema de Tiradentes

O maior evento dedicado ao cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país está de volta.

A Mostra de Cinema de Tiradentes apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira. Trata-se de um programa audiovisual que reúne todas as manifestações da arte numa programação cultural abrangente oferecida gratuitamente ao público.

Na programação da 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes, a ser realizada entre 24 de janeiro e 1º de fevereiro de 2020, serão exibidos 80 curtas-metragens, vindos de 14 estados e espalhados por 10 seções gratuitas. Eles serão apresentados dentro das mostras Foco, Panorama, Foco Minas, A Imaginação como Potência, Formação, Jovem, Mostrinha e Praça.

Os atores Antônio e Camila Pitanga (pai e filha) são os homenageados 23ª Mostra Tiradentes

Lafaietense

Meireles e Trindade

Além de expectadores nas salas de exibições, a Mostra de Cinema de Tiradentes em 2020 vai ter lafaietense também na tela.

O mais recente filme do cineasta lafaietense, Rodrigo Meireles, foi selecionado para o festival. “Trindade” foi selecionado para ser exibido na 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes.

“Será uma sessão muito especial, de estréia, neste que é um dos festivais mais importantes do Brasil… pertinho aqui de casa. Muito obrigado a todos os envolvidos na produção do filme… e um agradecimento especial a essa mulher maravilhosa que é a Trindade”, diz Meireles.

A sessão será na sexta-feira, 31 de janeiro, às 16h30, no CineTenda.

O filme

Roteiro: Rodrigo Meireles.
Empresa produtora: Relógio Quebrado.
Co-produção: Estúdio Taidai.
Produção executiva: Rodrigo Meireles.
Direção de produção: Rodrigo Meireles.
Montagem: Rodrigo Meireles Silnara Faustino.
Fotografia: Rodrigo Meireles.
Trilha sonora: Maria Trindade da Costa Vitória Rodrigues.
Mixagem: Márcio Zaum.
Som direto: Rodrigo Meireles, Márcio Zaum.
Edição de som: Márcio Zaum.
Elenco: Maria Trindade da Costa Vitória Rodrigues.

Trindade

Trindade é uma mulher que fez da religião arma pacífica para vencer o preconceito, a opressão e o vício do alcoolismo. Quem falou sobre a terceira parte da trilogia de curtas-metragens que projetam variados aspectos da vida em Conselheiro Lafaiete na tela do cinema é o próprio Rodrigo Meireles, diretor do documentário: “Logo no começo do filme, o público é apresentado a uma mulher negra, já idosa – na faixa dos setenta e poucos anos. Nossa sociedade ainda cultiva um racismo latente, embora disfarçado, onde a gente finge viver em um país miscigenado. Só pelo fato de ser uma mulher negra, Trindade já carrega consigo uma preciosa bagagem de história e ancestralidade marcada pela escravidão a que seus antepassados foram segregados e cuja abolição por completo não aconteceu até hoje, em pleno terceiro milênio”.

Ao longo da vida, esta moradora de Conselheiro Lafaiete sofreu na pele a dor da discriminação por ser negra e haver se prostituído. Como fuga, tentou se refugiar no álcool. Porém, católica que sempre foi e devota fiel da Santíssima Trindade, encontrou o verdadeiro acolhimento na religião, que a acolheu e contribuiu decisivamente para que se reerguesse e resgatasse a própria dignidade, firmando-se como exemplo de resiliência, amor e fé que enche de orgulho os filhos, netos e bisnetos.

Leia também: Curta-metragem de Rodrigo Meireles conta no cinema a historia de Trindade.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!