Fato Real
Destaque Lafaiete

Escola de música de Lafaiete tem terceiro participante no The Voice Kids

Pela terceira vez uma criança da região participa do programa The Voice Kids, da TV Globo. O que coloca Lafaiete em destaque no cenário musical infantil nacional, já que elas passaram pela cidade para aprender mais sobre música. Igor Silveira, Lucas Vasconcelos e Giovana Rezende, além de terem sido selecionados, têm em comum o fato de conviverem na mesma escola de música, a Vivace, que fica no bairro Santo Antônio, em Conselheiro Lafaiete.

A escola, que hoje conta com aproximadamente 300 alunos, iniciou os trabalhos em 2007, quando a professora de piano e canto Márcia Assis convidou Matheus Baêta, professor de guitarra e violão para construírem juntos um projeto de ensino de música para todas as idades, e estreitar a parceria que já vinha desde 2004, quando cantavam em um coral produzido pela Márcia. Em entrevista ao Fato Real, eles contaram sobre o processo que levou alunos à seleção para o programa de relevância nacional.

The Voice Kids

Quando o assunto é o processo de seleção do programa The Voice Kids, os professores afirmam que não existe nenhum trabalho específico para o programa, o ensino é desenvolvido com a intenção de fazer com que os alunos aprendam e estejam sempre expandindo seus conhecimentos e técnicas musicais. Mas, depois da seleção das crianças, e com o desenrolar da competição, é necessário fazer um trabalho específico com os candidatos. Márcia explica: “Quando eles foram aprovados, além da técnica específica para cada instrumento, nós fizemos um trabalho com fonoaudióloga, professor de teatro para melhorar a presença de palco, um trabalho geral, necessário para o desenvolvimento do aluno nas apresentações”.

Igor encantou jurados cantando “Corazón Espinado”

O primeiro aluno da escola Vivace aprovado foi Igor Silveira, e ele começou quando ele ainda era muito novo. Matheus contou que “a mãe do Igor já tinha levado o garoto a outras escolas de música, mas ele não gostou. Depois de uma indicação, ele fez uma aula experimental, e adorou. Ele tinha sete anos e já tinha um talento enorme. Isso era no fim de setembro, e como ele já era talentoso, ele pegou o violão e já estava cantando, e com dois meses de aula, eu o coloquei no evento da escola, com uma mega-estrutura. Ele tocou, foi muito aplaudido, e no ano seguinte, ele se inscreveu no The Voice.”

Lucas cantou e fez o jurado Leo (da dupla Vitor Leo) dançar

A experiência com o Igor ajudou o colega Lucas Silveira. Também aluno de Matheus, “o Lucas um dia chegou pra gente e disse que queria se inscrever no The Voice. A partir daí eu gravei um vídeo com ele, e quando ele passou, eu já tinha tido a experiência com o Igor, e nós fizemos o mesmo processo, um trabalho em conjunto para ajudá-lo a se desenvolver durante a competição. É muito gratificante ver a evolução do aluno, mesmo durante o programa. Nas primeiras apresentações ele estava nervoso, e depois ele foi se soltando”, contou Matheus.

Giovana é a atual representear da região no programa

Já Giovana Rezende é aluna de Márcia, e ela “já chegou à escola com a ideia de fazer um trabalho profissional. Ela chegou aqui com muito talento, já tocando viola, mas com a necessidade de aprimorar a técnica de canto”, relatou a professora. “Pergunto ao aluno qual é o objetivo dele e se a resposta é um projeto profissional, eu já direciono todo o trabalho pra isso. E o próprio método da escola proporciona ao aluno a experiência”. Como curiosidade, a professora contou que o pai da Giovana gravou um vídeo sem a intenção de utilizar para fazer a inscrição no The Voice Kids a escola mandou e passou pelo processo de seleção.

Mas, não é só a parte musical que importa para os professores. Eles explicaram que “uma das preocupações que nós temos é a parte psicológica. Nós conversamos muito com os meninos pra levar tudo como uma brincadeira. É claro que é necessário fazer um trabalho bem feito, mas também é preciso fazer amizades, aproveitar o momento, criar vínculos com as pessoas. Tentamos levar por esse lado, porque são crianças”.

Sobre a pressão de participar de um programa como esse, Márcia (foto) disse que “no caso do The Voice, quando eles sobem no palco, já é a sexta etapa, ou seja, muita gente não sabe, mas eles já passaram por cinco etapas que envolvem o Brasil inteiro. Por isso, eles já são vencedores, e a função deles ali não é ‘virar uma cadeira’, mas se apresentar da melhor maneira possível”.

A realização da escola

Matheus Baêta aposta no método da Vivace

Ser reconhecido no cenário musical infantil é um feito importante para uma escola de música de Conselheiro Lafaiete, e para Márcia é  “muito gratificante saber que o trabalho está sendo reconhecido e rendendo frutos, estamos vendo os meninos voarem. A gente faz com todo amor, estamos sempre estudando, trazendo coisas novas pra passar aos alunos”. Já Matheus afirmou que “o mais interessante é que fazem tudo com muito carinho, mas sem cobrar do aluno que ele se inscreva em qualquer programa ou concurso. Isso parte sempre deles.

A escola, que fica na Rua Professor Jair Noronha, 92 A, no bairro Santo Antônio, em Lafaiete, oferece cursos de viola, violão, guitarra, acordeon, bateria eletrônica, piano e teclado, canto e musicalização infantil, ministrados por nove professores. A escola disponibiliza ainda uma aula experimental para apresentar a estrutura e o método de ensino aos interessados.

Fotos The Voice Kids/Digulgação/Tv Globo

 

Fernando Ciríaco
Jornalista

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!