Fato Real
Lafaiete

Academias apresentam propostas para reabertura em Lafaiete

Mesmo com o sinal verde dado pelo presidente Jair Bolsonaro, que incluiu as academias de ginástica na lista de serviços essenciais, o Município de Conselheiro Lafaiete, seguindo recomendação do Comitê Extraordinário de Enfrentamento ao novo coronavírus, optou por não estender a flexibilização à atividade.  Em entrevista  ao “Boletim Coronavírus” da Rádio carijós, o prefeito Mário Marcus classificou a atitude presidencial de irresponsável e lembrou que  o setor aparece entre os últimos colocados na lista de prioridades definidas pelo programa “Minas Consciente” do governo estadual.

Academias são considerados espaços de aglomerações

Para repercutir o posicionamento municipal e saber como o segmento está enfrentando este longo período impedido de atender os clientes, o Fato Real conversou com o preparador físico e empresário Renan Arnoni, proprietário de quatro academias na cidade. Ele confirmou que o isolamento social levou ao fechamento de todas as unidades no dia 19 de março e, desde então, os cerca de dois mil alunos estão impossibilitados de frequentar as aulas. As academias foram muito impactadas pelas medidas e  praticamente zeraram o faturamento.  A alternativa, segundo Arnoni, tem sido gerar conteúdo para as redes sociais e oferecer aos alunos o suporte necessário para que continuem se exercitando em casa.

Renan Arnoni busca reabertura responsável das academias

Apesar de reconhecer a importância para a classe, a inclusão pelo presidente Bolsonaro  das academias entre as áreas consideradas essenciais, Arnoni reconheceu que as academias são ambientes onde as pessoas usam diversos aparelhos ao mesmo tempo e é quase impossível evitar que ocorram aglomerações; o que tem provocado um temor de algumas pessoas.Por isso é necessário aguardar decisões em níveis estadual e municipal. “Nós temos que aguardar para reabrir com segurança. Para que a gente não possa, ao contrário do que queremos,  levar doença às pessoas ao invés de levar saúde”

 

Plano de retorno

Ainda assim, com o auxílio do professor de educação física e suplente de vereador Oswaldo Barbosa, os empresários elaboraram um plano de retorno, mesmo que limitado por medidas restritivas às atividades presenciais, que apresentaram o prefeito Mário Marcus nesta terça-feira 19/05. “A atitude do presidente mostra que a atividade física é fundamental para a manutenção da saúde do corpo e da mente e as academias são excelentes locais de sociabilização. A partir do decreto presidencial, a gente fica aguardando a autorização do governador e do prefeito para voltarmos à normalidade, ainda que parcialmente”.

Também participaram da reunião profissionais de Educação Física e representantes das academias, estúdios e escolas de esportes de Conselheiro Lafaiete.O prefeito Mário Marcus ressaltou que continuará mantendo diálogo com todos os grupos de profissionais e que todas as solicitações recebidas serão levadas à apreciação do Comitê Extraordinário de Enfrentamento ao Coronavírus COVID-19, apesar de, no momento, não haver previsão de retorno destas atividades.

Adequação

Setor é gerador de emprego e sente os impactos financeiros

Os donos de academias criaram um grupo, formado por colegas de Lafaiete, Ouro Branco e Congonhas, para elaborar caminhos que levem à aguardada flexibilização do setor. Uma das principais mudanças deve ser a adequação do funcionamento para amenizar o chamado horário de pico, entre 6h30 e 8h30 e  das 18h às 20h30, quando é maior o fluxo de alunos: “Nos demais horários é mais tranquilo controlar a frequência. Além disso, todos os funcionários e instrutores estarão usando máscaras. As academias serão equipadas com termômetros a laser para aferir a temperatura dos clientes assim que entrarem na academia e as recepcionistas vão higienizar as mãos dos frequentadores. Os aparelhos serão posicionados a uma distância segura para resguardar a saúde dos usuários e ainda estamos estudando a possibilidade de colocar um lavabo na parte externa ou na recepção das academias para facilitar ainda mais a higienização”.

Renan Arnoni argumentou que há muitos funcionários que dependem da atividade e precisam urgentemente voltar ao trabalho para manter o próprio sustento e de suas famílias. Mas, enquanto as academias não são autorizadas a reabrir, o preparador físico e empresário ressaltou que os profissionais continuam à disposição para prestar orientações por meio das redes sociais.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!