Fato Real
Gerais

Gerente do PROCON dá dicas para dívidas não ficarem ainda maiores

Todo mundo sabe que dívidas são como bolas de neve; se a gente não as controla, elas crescem rapidamente e acabam se tornando impagáveis. Para quitar uma dívida, há devedor imprudente que contrai um empréstimo atrás do outro e acaba refém de uma corrente de boletos, carnês e faturas que não tem fim.

Mas não se desespere! Existem fórmulas simples de fugir à armadilha das dívidas ou, pelo menos, se libertar delas em prazos menos longos e com menores sacrifícios. Quem mostra o caminho é a gerente do PROCON Lafaiete, Mariana Mendes, que atendendo convite do vereador Pedro Américo, falou com a imprensa sobre o assunto. “Quando a pessoa se vê afogada em um mar de dívidas, o primeiro passo é priorizar algumas atitudes. Nós do PROCON Lafaiete enumeramos cinco passos que conduzem à recuperação da saúde financeira. O primeiro é a pessoa assumir que está endividada, entender que não é a única que se encontra nesta situação e que há milhões de brasileiros vivendo momentos de extrema dificuldade financeira como este. A solução é arregaçar as mangas e começar a agir. O segundo passo consiste em o consumidor reunir todas as contas, faturas e boletos e construir uma planilha, na qual descriminará todas as suas despesas e o que ainda tem de receita. Depois é subtrair, do valor da receita, o total de despesas. Se o resultado final for positivo, ele ainda terá algum dinheiro pra gastar; se for negativo, o problema está configurado”.

A gerente do Procon e o vereador Pedro Américo

É deste cálculo que se desenha o terceiro passo no caminho rumo à recuperação financeira. Será preciso apertar ainda mais o orçamento, diminuindo as despesas e buscando um meio de aumentar a receita. Uma alternativa pode ser contraindo empréstimo, mas a consultora Mariana Mendes não considera esta uma saída recomendável, a não ser que a pessoa tenha condições de arcar futuramente com a quitação das parcelas acordadas. Mas a gerente do PROCON Lafaiete acredita em medidas mais simples que podem afrouxar um pouco a corda no pescoço dos inadimplentes: “Sabe aquelas taxas de manutenção de conta corrente? Uma dica para diminuir despesas é ir ao banco e solicitar a migração para conta salário ou conta essencial, que são modalidades em que não se cobra taxa nenhuma, desde que o titular não extrapole a cesta de serviços, que, neste caso, é bem limitada. Sejam 20 ou 30 reais que o devedor vai poupar, isso já alivia um pouco as contas no fim do mês. A penhora de valores (sejam joias ou outros bens) é outra alternativa. Se quitar religiosamente as parcelas do empréstimo, a pessoa pode resgatar o bem penhorado no fim do contrato. Estes são pontos em torno dos quais a família deve se sentar e conversar e ver com o que cada um pode contribuir para ajudar a diminuir as despesas.”

O quarto passo prevê a análise detalhada do montante em que a dívida se encontra, que fatores contribuíram para se chegar a valor tão elevado e de que meios pode se valer para trilhar o caminho inverso até à quitação total do débito.  Mariana Mendes concorda que pagar aos credores é sinal de honestidade, mas o devedor também não pode abrir mão de um mínimo de condições para continuar vivendo dignamente. A gerente do PROCON Lafaiete explica como encontrar o ponto de equilíbrio entre estas duas metas: “Nossa orientação é que, primeiro, se dê preferência às contas que lhe permitam viver com dignidade, como o aluguel, a farmácia, padaria, luz e água, por exemplo”.

Feito o pagamento das contas primordiais, é hora de executar o quinto e último passo quitando as dívidas mais elevadas, com prazos mais longos e taxas de juros maiores: “Sempre é bom começar a saldar as dívidas de cima pra baixo. Mas é preciso tomar cuidado, principalmente com as faturas de cartões de crédito, para não se comprometer com parcelas que depois não se consegue honrar, pois os juros ficam cada vez mais exorbitantes a cada renegociação do débito”.

Vencida a batalha mais dura da guerra contra o endividamento – a dos débitos de maior valor -, os passos seguintes poderão ser dados com mais segurança e relativa tranquilidade, já que compreendem tetos bem mais baixos. Porém, o mais importante é, depois de limpar o nome e se reabilitar junto aos órgãos de proteção ao crédito, aprender a lição e não incorrer novamente em dívidas futuras.

PROCON Lafaiete

Para atendimento no Procon o consumidor deve levar os documentos de identidade e o maior de número possível de documentos pertinentes ao caso a ser apresentado, como recibos, notas fiscais, boletos, contratos, etc.

O horário atendimento é de 10h às 16h. Outras informações poderão ser obtidas pelo telefone é o 3769-9010. O PROCON funciona à rua Carijós, 123, no Centro, atrás da Escola Estadual “Domingos Bebiano”.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!