Fato Real
Destaque Polícia

Lobista Átila Reys é preso em operação da PF

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram na manhã desta terça-feira 12/03 uma operação contra um esquema que cancelava de forma fraudulenta autuações fiscais. A ação ocorre a partir da Operação Descarte, realizada há pouco mais de um ano, na qual prendeu suspeitos e recolheu provas sobre um esquema de lavagem de dinheiro usando empresas de fachada.

A investigação mira um esquema que realizava cancelamentos indevidos de autuações de tributos federais, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Segundo reportagem do “Estadão” a investigação põe sob suspeita o Grupo CVC Turismo em esquema de pagamento de R$ 39 milhões em propinas para cancelamento de autuação de R$ 161 milhões da Receita. O lobista Átila Reys Silva foi preso.

O inquérito policial aponta que uma conta teria recebido mais de R$ 39 milhões da CVC Turismo, que teria sido pago para viabilizar o cancelamento pelo CARF – Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – de uma autuação da Receita Federal no valor de R$ 161 milhões. Há indícios de que uma parte do valor pago teria sido remetida para o exterior de forma fraudulenta e outra parte teria sido dividida entre integrantes do grupo investigado.

PF apreendeu R$ 85 mil em espécie e joias

O auditor da Receita Flávio Corrêa, afirmou que os R$ 39 milhões pagos pela CVC foram distribuídos a ‘várias empresas’ ligadas a Átila Reys Silva e a escritórios de advocacia de fachada. “Uma dessas empresas, que recebeu a maior parte dos valores, era usada pelo empresário para todas as suas despesas pessoais”, contou. “Ele comprava carros de luxo usando a conta bancária dessa empresa.”

Átila e Lamim

Atila Reis tem ligação com a região. Tem uma propriedade em Lamim de 37 mil m²,  usada pelo empresário para criação de cavalos. Em 1º de março de 2018 policiais federais estiveram num escritório no centro da cidade e na fazenda dele em Lamim durante ação da Operação Descarte, com o objetivo de desarticular esquema criminoso e profissionalizado voltado ao crime de lavagem de dinheiro, por meio do controle de uma rede formada por diversas empresas de fachada. Relembre o caso.

Nota de Esclarecimento

Sobre operação Check Out deflagrada pela Polícia Federal, em continuidade à Operação Descarte a CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A, empresa de capital aberto listada no Novo Mercado e com mais de 1.300 lojas franqueadas, esclarece que a empresa mencionada nas investigações da operação Check Out é a “Operadora e Agência de Viagens TUR”, antigamente denominada “Operadora e Agência de Viagens CVC TUR” e citada nas investigações como “CVC Turismo”.

A CVC Brasil esclarece, ainda, que a empresa citada não tem qualquer relação com a Companhia e que nenhuma das pessoas citadas, incluindo o Sr. Guilherme Paulus, possuem cargos executivos ou na administração da CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A.

Fontes: Estadão e PF.
Fotos: PF/Divulgação

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!