Fato Real
Destaque

Dinheiro e armas levantam suspeitas sobre morte de mulher em Lafaiete

Uma série de circunstâncias, que deverão ser explicadas por investigação a cargo da Polícia Civil, envolve a morte de uma mulher ocorrida em Conselheiro Lafaiete nas primeiras da quinta-feira (02/07) no bairro Santo Agostinho, em Conselheiro Lafaiete. Nenhuma hipótese ainda está descartada.

Um popular  informou ter encontrado a vítima, já inerte e apresentando sangramento na cabeça, no passeio de um prédio na avenida Rosa Dutra, no  bairro Santo Agostinho. O homem fazia caminhada e minutos antes teria visto a mesma mulher  na varanda de um apartamento, que não respondeu ao seu cumprimento de bom dia. Chamadas pelos militares que atenderam a ocorrência, equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU constataram o óbito.

Armas, dinheiro e droga

Armas encontradas no apartamento

 

Com a mulher, de 36 anos, foram encontrados R$1.012,00 (mil e doze reais) em dinheiro.

Na sacada de um dos apartamentos do terceiro andar havia um lençol e do beiral foi recolhido um chinelo que fazia par com o encontrado ao lado do corpo.

Os policiais verificaram, ainda, que não havia indícios de que a porta de acesso ao apartamento pudesse ter sido arrombada ou forçada. Porém, ao realizar buscas dentro do imóvel localizaram uma garrucha calibre 450 e uma pistola calibre 635. Foram recolhidas, ainda, cinco munições intactas de revólver calibre 38, duas capas de colete balístico, um coldre, uma faca, um radiocomunicador e porções de maconha e cocaína, além de cerca de oito mil reais em dinheiro.

 Companheiro

A Polícia Militar foi em busca do companheiro da vítima, um homem de 43 anos, que foi encontrado na rua Canadá, no bairro Siderúrgico, dirigindo um veículo Uno. O motorista não apresentou a carteira de habilitação, alegando que o documento havia sido cassado, e manifestava fortes sinais de embriaguez. Ele também não mostrou o comprovante de licenciamento obrigatório do carro; posteriormente, comprovou-se que o Fiat estava em situação irregular, razão pela qual foi apreendido.

Indagado sobre a morte da companheira, o homem disse que havia se ausentado na noite anterior ao fato, mas salientou que não houvera nenhum desentendimento entre os dois. Contudo, admitiu aos policiais ser usuário de drogas  e assumiu a posse dos entorpecentes encontrados no apartamento, bem como das armas de fogo, que alegou ter recebido como herança. As munições, porém, disse que pertenciam à esposa, que estaria praticando exercícios de tiro esportivo.

Prisão

O homem foi preso em flagrante por posse ilegal de arma e drogas, bem como por dirigir alcoolizado. Ele foi conduzido à segunda Delegacia Regional de Segurança Pública, que assumiu a condução das investigações.

Filhos

Avenida onde ocorreu a morte

 

Dentro do imóvel estavam os filhos da vítima e do companheiro dela, uma criança de três anos e um adolescente de 13. Os dois menores foram confiados aos cuidados do Conselho Tutelar.

Moradores próximos ao local onde ocorreu a morte dizem que a família morava há pouco tempo naquele endereço,  e que momentos antes de morrer a mulher teria chamado um táxi. Quando o taxista chegou já deparou com ela morta no chão.

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!