Fato Real
Coluna Vou Falar - por Aaron Fenix

Essa tal felicidade!

Na correria da vida moderna, com tantos compromissos e obrigações, a felicidade parece ter se tornado um enigma. O que é exatamente ser feliz? Para alguns, é o desejo de melhoria no padrão de vida, ter casa, saúde, educação, saneamento básico. Para outros, é poder adquirir bens e serviços disponíveis e conquistar posição e status. Muitas vezes confunde-se conforto e qualidade de vida com estar feliz. Mas a felicidade é um sentimento subjetivo, um estado de satisfação que independe de acontecimentos externos.

Na confusão de ter com ser, o indivíduo esquece o que realmente importa e perde sua essência. Precisa então consumir mais para ter a ilusão de felicidade. A definição não dá conta do sentimento: felicidade é um estado de plenitude, satisfação e equilíbrio físico, mental e espiritual, que vai do contentamento à alegria intensa. Deixando de lado definições, proponho refletir sobre atitudes simples que ajudam a experimentar esse sentimento tão prazeroso. E o melhor é que todos são capazes de construir o caminho para a própria felicidade, de acordo com suas crenças e necessidades, independentemente do que os outros pensem ou digam. Sentir-se feliz pode ser estar em paz consigo mesmo, não ter preocupações financeiras, amar e ser amado, cuidar dos filhos, ter saúde física e mental, participar de causas sociais, fazer o trabalho que se gosta, ou apenas aquela sensação indefinível de abrir a janela de manhã para um lindo dia de sol. Não se pode ignorar que as circunstâncias de vida contribuem para a felicidade, porém elas não são determinantes.

Como experiência única, pessoal e intransferível, ser feliz depende tanto da forma como a pessoa encara a vida e enfrenta o sofrimento e as dificuldades quanto do compromisso consigo mesma, da busca do que considera importante. E para isto é necessário ter fé, esperança, coragem e confiança. Ter uma existência plena depende do que se pensa, do que se sente e do que se faz. Ficar preso às experiências ruins, achar que o passado determina o futuro, enfatizar acontecimentos negativos em detrimento dos positivos são atitudes que provocam desesperança e acomodação. Por outro lado, desapegar-se de lembranças sofridas, desenvolver uma perspectiva otimista, estabelecer metas realistas e não exigir demais de si mesmo, além de exercitar a gratidão e o perdão, aumentam a apreciação dos eventos positivos vividos. Importante também é se cercar de pessoas que dêem apoio, carinho e orientação, afastando-se de relacionamentos estéreis ou abusivos.

A felicidade é um estado de espírito, está dentro de cada um, não é permanente, varia de intensidade e apresenta-se de diversas formas. E, mais que tudo, depende da disposição de cada um para alcançá-la.

Sabendo e Vou Falar!
Aaron Fênix

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!