Fato Real
Coluna Vou Falar - por Aaron Fenix

Educação dos filhos: A importância de impor limites!

A falta de limites por parte de muitos pais forma crianças e adolescentes que acham que podem fazer tudo, sem ter que pagar pelas conseqüências de seus atos. Como explicar o aumento do número de crianças com comportamento autoritário, que agem segundo seus caprichos e exigências? Existe até um termo para esse tipo de criança: são meninas e meninos imperadores. O termo Síndrome de Imperador surgiu recentemente para caracterizar um tipo de relacionamento entre as crianças e os adultos que as educam.

A explicação para este tipo de comportamento está na família e na sociedade. O problema tem sua origem, muitas vezes, em pais ausentes que, para diminuir seu sentimento de culpa pelo tempo que não passam com a criança, atendem a todas as suas vontades. Para se aproximar dos filhos, acabam por realizar seus desejos, muitas vezes, antecipando-se a eles. Tendem a serem pais mais permissivos e super protetores, que não colocam limites aos filhos nem estabelecem regras claras.

Muitos são os desafios para educarmos os nossos filhos nos dias de hoje. Umas séries de mudanças profundas chegaram e impactaram a maneira como as famílias vivem: o avanço da tecnologia, que permite crianças e adolescentes acessarem uma avalanche de informações em um simples toque, sem terem maturidade para avaliá-las; o excesso do uso de mídias, os perigos de cyberbullying , da pedofilia, roubo de identidade na internet, jogos perigosos, como o desafio da baleia azul, entre outros praticados on-line. Tudo isso tem exigido dos pais vigilância e acompanhamento dos filhos, para os quais muitos têm enfrentado dificuldades, que se apresentam porque os pais estão sendo cada vez mais absorvidos pelo trabalho, seja porque vivem em uma sociedade consumista, e isso tem um grande apelo, ou porque o lar passou por uma situação de divisão e o pai ou a mãe tem que assumir sozinho (a) a provisão da família.

Os adultos são os únicos responsáveis pela educação das crianças que cuidam. Assim, é muito importante que a criança aprenda valores e saiba a importância de ser solidária, de partilhar, de respeitar a si mesma e aos outros, de ter compromisso e responsabilidades com seus atos. E é preciso que os pais entendam que não podem abster as crianças das frustrações, pois é dessa forma que elas amadurecem e se tornam aptas para enfrentar a vida, tornando-se jovens e adultos saudáveis e seguros.

Crianças e jovens que ficam soltos demais tendem a se perder, a ficar sem referência. Assim, muito carinho, aliado a um tratamento disciplinador (não confundir autoridade com autoritarismo),com limites claros e bem estabelecidos, promove a segurança emocional que eles precisam e molda seu caráter e suas personalidades para o futuro.

Tô Sabendo e Vou Falar!
 Aaron Fênix

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!